Janeiro Roxo
Equipes da saúde de Cariri trabalham com a prevenção á hanseníase nesse inicio de ano
Publicado em: 30/01/2020 ás 06:04:00

A Secretaria de Saúde do Município de Cariri, realiza nessa quinta-feira (30), o dia de prevenção do janeiro Roxo. Durante todo o dia as equipes de Saúde da Unidade de Saúde da Família, Manoel Pedro Pires Filho, estarão em campanha no Combate a Hanseníase.

O atendimento acontecerá o dia todo com prevenção, promoção e assistência ás pessoas com manchas na pele que podem caracterizar a doença.

 

O que é a hanseníase?

A hanseníase, conhecida antigamente como Lepra, é uma doença crônica, transmissível, de notificação compulsória e investigação obrigatória em todo território nacional. Possui como agente etiológico o Mycobacterium leprae, bacilo que tem a capacidade de infectar grande número de indivíduos, e atinge principalmente a pele e os nervos periféricos com capacidade de ocasionar lesões neurais, conferindo à doença um alto poder incapacitante, principal responsável pelo estigma e discriminação às pessoas acometidas pela doença.

A infecção por hanseníase pode acometer pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade. Entretanto, é necessário um longo período de exposição à bactéria, sendo que apenas uma pequena parcela da população infectada realmente adoece.

A hanseníase é uma das doenças mais antigas da humanidade. As referências mais remotas datam de 600 a.C. e procedem da Ásia, que, juntamente com a África, são consideradas o berço da doença. Entretanto, a terminologia hanseníase é iniciativa brasileira para minimizar o preconceito secular atribuído à doença, adotada pelo Ministério da Saúde em 1976. Com isso, de acordo com a Lei nº 9.010, de 29 de março de 1995, o termo "Lepra" e seus derivados não poderão ser utilizados na linguagem empregada nos documentos oficiais da Administração centralizada e descentralizada da União e dos Estados-membros.

O Brasil ocupa a 2ª posição do mundo, entre os países que registram casos novos. Em razão da elevada carga, a doença permanece como um importante problema de saúde pública no País.

 

Os sinais e sintomas mais frequentes da hanseníase são:

Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.

Áreas com diminuição dos pelos e do suor.

Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas.

Inchaço de mãos e pés.

Diminuição sensibilidade e/ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos.

Úlceras de pernas e pés.

Caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos.

Febre, edemas e dor nas articulações.

Entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz.

Ressecamento nos olhos.

Notícias relacionadas